O Mogi das Cruzes/Helbor volta de Fortaleza com uma excelente vitória sobre o Basquete Cearense na noite deste sábado por 77 a 69. Foi a primeira partida da série melhor de cinco de quartas de final do NBB Caixa (Novo Basquete Brasil), que agora terá sequência com outros dois jogos em Mogi na próxima sexta (19), às 21h10, e no domingo (21), às 19h.

A partida foi muito equilibrada. A equipe cearense foi melhor no primeiro quarto, vencendo por 18 a 15. O Mogi das Cruzes/Helbor reagiu no segundo e passou à frente no placar, ao fechar em 20 a 10. O terceiro período foi vencido pelo Carcará, por 20a 16, e o último foi dominado pelos mogianos, com 26 a 21.

Os destaques do time do técnico Guerrinha foram o pivô JP Batista, com um duplo-duplo de 18 pontos, 13 rebotes e 27 de eficiência, o ala-pivô Luís Gruber, com 14 pontos e nove rebotes, o ala Shamell Stallworth, com 16 e cinco rebotes, o armador Arthur Pecos, com oito pontos e seis assistências, o ala-pivô João Pedro, com oito pontos e cinco rebotes, e o ala Guilherme Deodato, com nove e quatro assistências. O armador Enzo Cafferata contribui ainda com outros quatro pontos. O cestinha da partida foi o ala-pivô Felipe, do Basquete Cearense, com 19 pontos.

“Foi uma vitória importantíssima! A primeira de uma série, fora de casa, diante de uma equipe que veio muito bem encorpada, com as vitórias sobre o Paulistano, e jogando em um calor muito úmido, no que tivemos um pouco de dificuldade. Tivemos que fazer um revezamento com o Zé que passou a noite gripado, sem o Filipin, isso diminuiu a rotação. Independente disso, a gente soube ganhar o jogo fora de casa, mas precisamos corrigir muito, principalmente o rebote defensivo. Se tivéssemos pego o rebote de defesa, teríamos ganho de 20 pontos ou mais. Mas o importante no playoff é ganhar de um ponto e vitória é vitória. Fora de casa, melhor ainda. Agora é voltar e se preparar para o segundo jogo, que é o mais importante da série”, adverte o treinador.

Foram 46 rebotes para os donos da casa, 24 ofensivos, contra 44 para os mogianos, 13 no ataque. O time teve 47,2% de aproveitamento e deixou a quadra com 100% nos lances livres: foram 22 convertidos.

DESFALQUE

O ala Guilherme Filipin não jogou porque o clube aguarda a liberação de uma AUT (Autorização de Uso Terapêutico) pela ABCD (Autoridade de Controle de Dopagem) para ele poder entrar em quadra. O atleta sofreu uma forte crise renal após o jogo contra o Sesi/Franca, no dia 23 de março, e foi levado às pressas para o Pronto Socorro, sendo medicado para amenizar o quadro de intensas dores. Por isso, o clube solicitou para a entidade uma AUT para resguardar o jogador de qualquer problema posterior com a medicação aplicada em um momento de urgência pela equipe médica do hospital.

INGRESSOS

Os ingressos para as partidas dos dias 19, às 21h10, e 21, às 19h, estão à venda no quiosque do clube no Mogi Shopping e pelo site totalticket.com.br/mogi. O bilhete para cada jogo custará R$ 20, com direito à meia para estudante, professor, idoso, deficiente físico e funcionários das empresas patrocinadoras e da Prefeitura de Mogi. Também é possível comprar o Combo para os dois jogos a R$ 30. Quem optar pela compra online (inteira) deve apresentar o bilhete do jogo 2 na bilheteria ou no quiosque para ter 50% de desconto no ingresso do dia 21.

Também terá direito a pagar meia quem levar 20 tampinhas plásticas (refrigerante, água, detergente, requeijão etc) para ajudar na campanha do Fundo Social de Mogi das Cruzes, com o projeto Tampinha Solidária, em apoio a ONGs e protetores independentes de animais da cidade. A compra pode ser feita online (link tampinha) ou no quiosque. Essas tampinhas devem ser entregues no Hugão. Elas serão encaminhadas para a reciclagem e a verba obtida com a venda será revertida para a compra de ração, que será encaminhada às entidades e pessoas que resgatam e cuidam de animais abandonados.

Author: Visite Mogi