No último dia 10, ocorreu em Brasília o lançamento da Frente Parlamentar da Memória e Preservação Ferroviária, criada pelo Deputado Federal Marcio Alvino do Partido da República que tem como objetivo resgatar e preservar a memória ferroviária, tendo o turismo ferroviário como gerador de manutenção de todo o patrimônio bem como contribuir com o desenvolvimento turístico local. Marcio Alvino apresentou a grande experiência que viveu ao implantar o Trem de Guararema ao longo de seis anos, e testemunhou que não foi fácil fazer a ligação entre Guararema e Luis Carlos em um trecho de cerca de sete quilômetros, pois enfrentar a burocracia e captar recursos não foi tarefa fácil e o projeto só saiu do papel porque houve empenho dele próprio, colocou o trabalho debaixo do braço e saiu a luta. Sua obra foi inaugurada em outubro de 2015 e está sendo operada pela ABPF – Associação Brasileira de Preservação Ferroviária. A meta agora é chegar em Sabaúna.

Representando o projeto ferroviário de Sabaúna, foram convidados para a Frente a Associação Nacional de Preservação Ferroviária – ANPF, entidade mogiana fundada em 2001, representada pelo seu presidente Gilberto Costa e a THG Consultoria em Turismo Ferroviário, empresa especializada em estudos para implantação de trens turísticos, representada por seu diretor Fábio Barbosa.

Em Sabaúna a ANPF já conseguiu da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos e MRS Logística S/A, a doação de trilhos e dormentes e a concessão da estação de Sabaúna, realizada em parceria com DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Prefeitura de Mogi das Cruzes, depois de 13 anos de luta. Além da doação de locomotivas e vagões.

Ainda será necessário a aquisição de aparelhos de mudança de via – AMV para ligar o patio ferroviário à linha principal da MRS, no entanto, o DNIT já sinalizou em Brasília sua liberação. Ainda caberá à Associação a entrega do projeto de restauro da estação que já foi finalizado e será encaminhado ao PROAC – Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo, sob gestão da Secretaria de Cultura.

A expectativa de um trem turístico definitivo em Sabaúna, já é aguardada há anos e mais uma vez a comunidade local aguardará este feito. Anualmente a ANPF, realiza alguns trens turísticos de São Paulo para Sabaúna com motivações diversas, como o Trem das marchinhas, trem da cerveja e o tradicional trem de Natal. O equipamento utilizado é o Expresso Turístico da CPTM.

No entanto, um dos maiores desafios da Frente Parlamentar será quebrar o paradigma das concessionários ferroviárias de que trem de passageiros atrapalha o fluxo de carga. Devemos lembrar que o processo desestatização das ferrovias que aconteceu no anos 90, incluiu em todos os contratos que as concessionários tem o dever de liberar duas faixas de trens de passageiros, algo que para os ferroviários mais velhos era coisa simples, até porque trem de passageiros tem prioridade na passagem. Diferente do passado que a liberação dos trens eram feitas de forma manual, onde se usavam staffs (equipamento que utilizava um bastão para licenças para um trem circular de um trecho para outro) para liberação de trens, hoje há sistemas modernos via satélite que facilitam a circulação e segurança do trem. Com todo tecnologia atual, as concessionárias criam todo tipo de argumentos para evitar que trens circulem em suas malhas e tem usado órgãos oficiais de normas técnicas para criar dificuldades para os trens de passageiros, principalmente os de caraterísticas turísticas que são operados por Associações de Preservação Ferroviária e operadores de turismo.

Todos os operadores de trens de passageiros acreditam que a primeira medida é ter uma aproximação maior junto à ANTT – Associação Nacional de Transportes Terrestres, que é a agência reguladora do transporte ferroviários e as concessionárias, pois há muitos projetos em vias de implantação, como Botucatu que já esta com trem pronto, inauguração programada da estação ferroviária e a concessionária local tem criado dificuldades depois de quatro anos de investimento e duro trabalho, após seguir as recomendações da operadora de cargas.

Fábio Fumaça

Turismólogo, Mestre em turismo ferroviário, consultor em turismo ferroviário

 

 

 

Author: Visite Mogi